24 Jan 2024

Jorge Silva: 21 anos de uma marca incontestável na arte de cortar cabelos

Jorge Silva começou com 14 anos na arte de cortar cabelos. Na altura, foi instigado pelo professor Fernando Cardoso que, consciente das habilidades do jovem, o incentivou a procurar singrar na área. Fez o seu caminho como cabeleireiro em várias casas até que, incentivado pelos sogros, que garantiram apoio, acabaria por abrir a sua própria casa em Lourosa, há 21 anos.

O dia em que foi conhecer o espaço foi "caricato", conta. A loja tinha servido para venda de lingerie feminina e todas as paredes estavam pintadas de um cor-de-rosa vivo. O cenário não assustou o jovem empresário que, ainda com parcos recursos, começou de imediato a trabalhar. A cor da pintura não o atrapalhou. Tinha consciência de que era arrojado e a decoração da loja serviu apenas para reforçar essa característica.

O primeiro cliente foi um colega de trabalho, a um sábado, às 7h00 da manhã. A partir daí nunca mais parou. A ligação à equipa dos Juniores de Lourosa trouxe ao espaço mais e mais jovens, tornando-se paragem obrigatória da equipa antes dos jogos.

Hoje, com 38 anos de experiência e 21 no espaço Jorge Silva Cabeleireiros, Jorge Silva assume-se como o melhor na sua área. Na verdade, foi sempre isso que procurou: "ser o melhor". Autodidata, não se assusta com a concorrência. Muitos foram os que saíram e construíram uma carreira alicerçada- no seu nome. Os anos de experiência e o nome consolidado no mercado garantem-lhe clientes fiéis que ele considera, sobretudo amigos. O sofá do estabelecimento serve, muitas vezes, de espaço de tertúlia para os muitos que aguardam pelas mãos do mestre e dos seus colaboradores. Empregados não tem, garante. "Nunca lhes mando limpar a loja. Sou eu que a limpo. Eu sou o empregado. Fui sempre empregado.", garante.

As cadeiras onde o artista labora servem muitas vezes de confessionário ou espaço de terapia. São muitos os casos de que se recorda em que, através da palavra amiga e de muita paciência, conseguiu ajudar os seus clientes a ultrapassarem as mais diversas dificuldades.

Mais do que consolidado na área, espera, no futuro, que o seu filho Bruno Silva lhe siga as pisadas. O jovem "tem jeito e já vai fazendo algumas coisas". Para si e para os seus deseja apenas saúde. O resto aparece, garante. Por enquanto, com apenas 52 anos, vai continuar a fazer o que melhor sabe: "cortar cabelos com afecto".

Fonte: In, Correio da Feira
Política de cookies

Este site utiliza cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso.   Saiba Mais

Compreendi