04 Jun 2024

HOSPVET pretende ser «uma referência na zona Norte e Centro do país»

HOSPVET pretende ser «uma referência na zona Norte e Centro do país»

Santa Maria da Feira O HOSPVET tem assistência médica em permanência, 24 horas por dia, 365 dias por ano. O projeto, que teve um investimento de três milhões de euros, conta com sete médicos, seis enfermeiros e duas auxiliares

Mafalda Andrade, de 22 anos, é o rosto do novo Hospital Veterinário de Santa Maria da Feira, HOSPVET, que abriu portas recentemente. Formada em Gestão, em 2022, ajovem "abraçou" este novo projeto e o Diário de Aveiro esteve à conversa com a própria.

Diário de Aveiro: Como surgiu a ideia de criar este hospital veterinário?

Mafalda Andrade: Numa altura de decisões importantes, em que planeava o meu futuro a nível profissional, nomeadamente que caminho seguiria no fim da licenciatura deparei-me com a falta de atendimento médico-veterinário permanente nos Centros de Atendimento Médico-Veterinários da minha cidade, Santa Maria da Feira. Desde pequena que sempre tive animais de estimação, em particular cães. Tenho um enorme carinho por eles, tanto que, neste momento, tenho nove cães em casa. A certo ponto, adoeceram vários ao mesmo tempo e necessitaram de cuidados urgentes, fora do período normal de abertura das clínicas da zona o que me obrigou a fazer várias deslocações ao Porto. Foi, então, que percebi que havia, de facto, uma lacuna ao nível dos cuidados veterinários na Feira e senti a necessidade de tentar mudar isso. Foi, de certo modo, uma forma de aliar a minha formação de base, a gestão, com o meu grande carinho pelos animais, e, ainda, tentar apoiar e ajudar os tutores desta zona.

Pelo que se destaca o hospital veterinário?

O HOSPVET, enquanto hospital veterinário, tem permanência médico-veterinária 24 horas por dia, 365 dias por ano. Neste sentido, estamos sempre abertos e disponíveis para receber um animal em urgência, seja em que horário for. Para além disso, se o animal necessitar de cuidados permanentes e de ficar internado connosco, terá sempre supervisão de um médico e um enfermeiro veterinário, nunca ficará sozinho. O objetivo com a abertura do hospital foi, também, oferecer um serviço completo ao tutor, ou seja, ter todos os meios de diagnóstico e tratamento necessários para que o tutor e, consecutivamente, o animal, não tenham de se deslocar entre unidades para fazer consultas ou exames. No HOSPVET conseguimos acompanhar o animal desde o momento do diagnóstico ao tratamento.

Então, oferecem desde a consulta geral à consulta de especialidade.

Sim. Temos um centro de imagiologia equipado com ressonância magnética TAC, Raio-X e ecografia, e isto é algo que também nos distingue, pois estes equipamentos são, ainda de certa forma raros em veterinária Temos ainda médicos dedicados ao tratamento de animais exóticos, uma ala isolada para internamento de animais com doenças infeto-contagiosas, cirurgia equipamentos de análises clínicas que nos permitem obter resultados imediatos, fisioterapia, entre vários outros serviços. Para além disso, todo o hospital foi equipado pela MEDIKA, empresa com vasta experiência na construção e equipamento de hospitais de medicina humana foi um projeto "chave na mão", em que nos tentámos posicionar a par da medicina humana e aproximar dela os nossos cuidados veterinários. Temos os equipamentos das mais reconhecidas marcas do mercado, desde FU-JIFILM, ao nível da imagiologia até à Mindray entre outras marcas de referência no mercado.

Qual foi o investimento?

Contabilizando desde o edifício aos equipamentos foi de três milhões de euros.

Como funciona a equipa e o dia a dia do hospital?

A nossa equipa é composta por sete médicos veterinários, seis enfermeiros veterinários e duas auxiliares veterinárias. Como referi, estamos abertos 24 horas por dia por isso, durante o período normal de trabalho temos várias pessoas ao serviço, dependendo das marcações para o dia mas que vão desde as cirurgias, aos exames de imagiologia ou até ao tratamento de suporte de internados. Durante o período noturno, o trabalho passa, sobretudo e novamente, pelo tratamento e monitorização de internados e, também, claro, pelo atendimento de eventuais urgências. O período normal de abertura situa-se entre as 9 e as 20 horas, nos dias úteis, e entre as 9 e as 13 horas ao sábado, sendo o restante horário de urgência

Qual é área das instalações e a capacidade de internamento?

A área total do edifício é de cerca de 1.300 metros quadrados distribuídos por três pisos. O espaço foi pensado ao pormenor. No piso de baixo localiza-se a cave e é onde está um estacionamento para colaboradores e clientes, e agrega o centro de imagiologia, nomeadamente o TAC, RM e o Raio-X. No piso 0, onde passamos a grande parte do dia estão localizados os consultórios, internamentos, fisioterapia e todas as áreas de apoio a estas. Temos ainda um parque interior para fazer as visitas e passeios dos internados de forma segura e controlada. Ao nível de internamento temos capacidade para 30 cães e 20 gatos, em internamentos separados, sem contabilizar o internamento de infeto-contagiosos.

Porque decidiram apostar num centro de imagiologia próprio?

Notámos, claramente, nos últimos anos, uma crescente aposta na medicina veterinária e até uma certa mudança de mentalidade nas pessoas. Os animais de companhia são, cada vez mais, parte da família e os tutores procuram os melhores cuidados para eles. De facto, e analisando a oferta de hospitais veterinários com ambos equipamentos de TAC e RM, percebemos que temos que nos deslocar, pelo menos, 30 quilómetros, o que ainda acaba por ser consequente quando analisando as vidas cada vez mais preenchidas das pessoas. Para além disso, o objetivo foi, mais uma vez, criar Á um espaço onde o tutor consiga obter todas as respostas, sem que tenha de se deslocar a diferentes locais para cada um dos procedimentos. É um aproximar à medicina humana criando um centro de diagnóstico e não só de tratamento.

Quais são as expectativas a médio-longo prazo?
O nosso objetivo é sermos um centro de referência na zona Norte e Centro do país. A nível de equipamentos e infraestruturas, considero termos tudo o que é necessário para tal e estamos a investir, igualmente, nos recursos humanos, apostando na formação contínua para que consigamos atingir este objetivo. Queremos manter uma atualização contínua, investir e formar. Posso dizer que são estes os nossos objetivos.

Fonte: In, Diário de Aveiro
Política de cookies

Este site utiliza cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso.   Saiba Mais

Compreendi