09 Fev 2024

CEC junta-se a missiva europeia para acordo UE-MERCOSUL

CEC assina carta da Industry Alliance

No dia 11 de janeiro, a Confederação Europeia do Calçado (CEC) juntou-se a 22 associações europeias numa carta dirigida aos líderes da União Europeia, Roberta Metsola, Presidente do Parlamento Europeu, Charles Michel, Presidente do Conselho Europeu e Ursula von der Leyen, Presidente da Comissão Europeia, para instar a conclusão e a ratificação do acordo UE-Mercosul com urgência.

Na carta, a Industry Alliance salienta as enormes oportunidades que o Acordo oferece para manter uma forte estrutura industrial na UE, incluindo nas zonas rurais, e assim salvaguardar os empregos e o bem-estar de milhões de cidadãos europeus. Além disso, a missiva destaca a forma como a implementação do Acordo ajudará a diversificar as cadeias de valor, tanto para importações como para exportações. "Dirigimo-nos em nome de 23 associações representantes de um vasto leque de indústrias europeias e de outras empresas sediadas na UE, abrangendo setores desde a indústria transformadora até à indústria alimentar. Apelamos aos líderes da UE e do Mercosul para que concluam rapidamente as negociações comerciais sobre os pontos ainda em aberto. Não há tempo a perder”, começa por dizer a carta.

"A entrada em vigor do acordo UE-Mercosul reforçará a integração das nossas economias, ajudando a diversificar as nossas cadeias de valor, tanto para as importações como exportações. Isto é fundamental para a competitividade dos nossos setores orientados para a exportação, que criam dezenas de milhões de postos de trabalho na Europa e dão um contributo essencial para a prosperidade e o nível de vida dos cidadãos europeus. Ajuda, igualmente, a promover a autonomia estratégica livre e aberta da UE, num período de preocupação crescente em relação à segurança económica, através de alianças com países que partilham os mesmos objetivos e valores”.

"O acordo representa uma oportunidade única para a Europa, de agarrar a vantagem de ser pioneira na criação de uma parceria com uma das maiores economias do mundo. O acordo contribui para a redução significativa dos elevados entraves aduaneiros e não-aduaneiros que condicionam negativamente a possibilidade de as empresas europeias competirem no mercado relativamente fechado do Mercosul, que conta com mais de 270 milhões de consumidores”.

"Assim - continua a Industry Alliance - é importante reconhecer as enormes oportunidades que o acordo oferece, que ajudarão a manter uma estrutura industrial forte na UE, incluindo nas zonas rurais, salvaguardando assim o emprego e o bem-estar de milhões de cidadãos europeus. Considerando que a UE carece de reservas substanciais de matérias-primas essenciais, necessárias para a transição ecológica e digital, e o facto de se esperar que uma parte substancial do crescimento global venha de fora da UE na próxima década, as nossas indústrias precisam de mercados de exportação abertos para vender bens e serviços europeus, e adquirir matérias-primas a preços competitivos. O acordo é, por conseguinte, um imperativo económico, social e geopolítico”

"Comprometidos com princípios de comércio livre, justo, e sustentável, compreendemos a necessidade de proteger os ecossistemas únicos da região do Mercosul. Acreditamos que o acordo UE-Mercosul proporciona um incentivo muito forte e os instrumentos certos para a colaboração no sentido de manter os compromissos de desenvolvimento sustentável da região, incluindo o fim da desflorestação ilegal. Apelamos, assim, aos líderes europeus para que possam agir agora, e concluam e ratifiquem o acordo UE-Mercosul sem mais demoras”.


Fonte: In, APICCAPS
Política de cookies

Este site utiliza cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso.   Saiba Mais

Compreendi