Política de cookies

Este site utiliza cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso. Saiba Mais

Compreendi

Cultura e Lazer

Cultura e Lazer

Com uma oferta cultural diferenciadora ao longo de todo o ano, Santa Maria da Feira assume-se como um verdadeiro "Palco de Experiências”, onde o visitante é desafiado a viver em pleno o espírito dos eventos e convidado a regressar sempre que a cultura acontece.



A Viagem Medieval, o Imaginarius: Festival Internacional de Teatro de Rua, o Perlim - Uma Quinta de Sonhos e as Fogaceiras em Santa Maria da Feira são os quatro eventos culturais de referência, que potenciam a oferta turística da Região Norte.


VIAGEM MEDIEVAL EM TERRA SANTA MARIA



Numa época de grandes transformações sociais e económicas do mundo ocidental, em consequência da nefasta Peste Negra ocorrida acerca de duas décadas, sobe ao trono em 1367, el-rei D. Fernando, o Belo, intitulado rei de Portugal e do Algarve. 
Não obstante as mudanças, o monarca vai receber um reino em paz e com um tesouro riquíssimo, pelo que poderá alimentar as suas grandes paixões: a caça e as modas de gostos artísticos e culturais, muito refinados, que eram também praticadas pela restante aristocracia europeia.

Após a morte de D. Pedro, de Castela, no âmbito da crise sucessória, Portugal entra em guerra com aquele reino, em três períodos distintos. D. Fernando reclama para si o trono castelhano, iniciando as guerras fernandinas com a invasão da Galiza, onde é aclamado rei em várias destas cidades por ter ali muitos apoiantes.

Sendo um monarca inconstante em algumas das decisões, a sua governação em tempos de paz foi notável, dando início a um projeto político inovador que vai partilhar com a rainha D. Leonor Teles. Assumiu a construção de muralhas e de grandes edifícios em várias cidades, promulgou a Lei das Sesmarias, criou a Torre do Tombo, a Casa dos Contos e fundou a Companhia das Naus, adaptando assim, a administração régia às necessidades dos novos tempos.

Por volta de 1379, há referências a um episódio de tentativa de assassinato de D. Fernando, em que lhe terão dado peçonha para o matar. As consequências deste ato deixaram-lhe graves problemas de saúde, originando uma viragem na governação, promovendo uma participação mais ativa nas decisões e ações do reino por parte da rainha D. Leonor Teles, a "mal-amada” pelo povo.

D. Fernando foi-se debilitando, lentamente, até à sua morte que ocorreu no ano de 1383.

IMAGINARIUS - FESTIVAL INTERNACIONAL DE TEATRO DE RUA




O maior festival de Artes de Rua realizado em Portugal e uma referência internacional.

Com um percurso consolidado de 14 anos na promoção das Artes de Rua em Portugal, o Imaginarius é o palco privilegiado de reputados artistas e companhias, nacionais e internacionais, que elegem o espaço público de Santa Maria da Feira para apresentar as suas criações, muitas delas em estreia absoluta.

La Fura dels Baus, Royal de Luxe, Titanick Theatre, Pippo Delbono, Xarxa Teatre, Transe Express, Leo Bassi, Strange Fruit, Cacahuète, Gran Reyneta, KTO Theater, Odin Teatret, Pan Optikum e Antagon Theater AKTion são algumas das companhias mundiais que já passaram pelo Festival e deixaram uma marca no território.

O mesmo aconteceu com a participação de reputados criadores, como o Nobel da Literatura Dario Fo, os fotógrafos Spencer Tunick e Oliviero Toscani, o cineasta Manoel de Oliveira, a artista plástica Joana Vasconcelos e o mestre na arte do mascaramento urbano Donato Sartori, que envolveram a comunidade e o espaço público da cidade nas suas intervenções artísticas.

Desde a primeira edição que o Imaginarius aposta em criações próprias como "Entrado”, que envolveu a participação de 30 reclusos do Estabelecimento Prisional do Porto, ou "O Comboio Fantasma de Santa Maria da Feira”, de Lee Beagley com estruturas artísticas locais. Os projetos de teatro comunitário, como "Baralha”, desenvolvido com a comunidade cigana local, ou "Texturas”, que homenageou a indústria da cortiça, também assumem um espaço de grande relevo no Festival.

Em 2008, o Imaginarius lançou um projeto de experimentação musical que se destaca no panorama da arte contemporânea – a Orquestra Criativa de Santa Maria da Feira. Sob a direção artística do maestro Aleksandar Caric Zar, esta formação conta atualmente com 150 elementos do território.

Desde 2009 que o Festival abre espaço a jovens criadores de todo o mundo através do Mais Imaginarius, privilegiando a experimentação e novas abordagens no espaço público de Santa Maria da Feira.

A vertente formativa e de intercâmbio artístico mantém-se como uma aposta estratégica do Imaginarius, materializada em workshops e residências artísticas com grandes mestres das artes de rua.

Marcado por uma incessante vontade de criar e de transformar, o Festival trilha um necessário caminho de construção e desconstrução. Porque acreditamos que o futuro é Imaginarius.

www.imaginarius.pt


PERLIM - UMA QUINTA DE SONHOS


Perlim, Pimpim, a história chegou ao fim… do Arco-íris!

O Céu e a Terra tocaram-se pela primeira vez e foi nesse momento em que a maior de todas as Amizades inundou o Universo! Decidiram celebrá-la e, para que nunca mais ninguém esquecesse aquele momento, convidaram o Sol e a Chuva para festejar! Os quatro elementos uniram-se e eternizaram aquele instante com uma aponte mágica de 7 cores – o Arco-íris nasceu!

Com o passar do tempo – horas, dias, meses, anos, décadas, séculos e milénios, o Universo esqueceu-se daquela Amizade… Do que realmente fez nascer o Arco-íris!

Foi então que, algures também perdida no tempo, nasce a história de um pote cheio de ouro, o maior e mais infinito de todos os tesouros, que se haveria de encontrar no fim do Arco-íris! Verdadeiras epopeias à volta da busca de um tesouro perdido, porque parecia que o Arco-íris, quando inundava o céu de cores não tinha nem princípio nem fim!

Quando os habitantes de Perlim foram dormir, no primeiro dia do ano, já depois das doze badaladas, avistaram um brilho diferente no céu! De manhã, ainda com o frio do inverno a fazer tremelicar o Perlim e a Pimpim, tomaram conta das suas tarefas e afazeres para que a Quinta do Castelo estivesse bela e impecável, como sempre! A Plim recolheu as estrelas cadentes e levou-as até à encosta dos moinhos de Perlim para que se transformassem em pós mágicos. 

Lá no alto, consegues vê-los? Expostos aos ventos da magia, os Moinhos de Perlim vão moendo Estrelas que todas as noites caem do céu e realizam desejos! É aqui que se transformam em pozinhos de Perlimpimpim! 

A Preciosa cuidou de cada flor, cada árvore e cada folha para que tudo estivesse no seu devido lugar! O Pim, a Pam e o Pum acarinharam a Lua, a Fada Piri ajudou o Pai Natal a preparar a sua longa viagem de regresso até à Lapónia e o Merlim coloriu cada recanto de Perlim com as mais vibrantes e encantadoras cores!

Tudo está perfeito! Foi então que Perlim e Pimpim, aos pés da Árvore do Amor, começaram a ouvir uma encantadora melodia vinda do interior da gruta de Perlim. Foram dar uma espreitadela, sempre curiosos e alegres, porque música é música, e, prestes a chegar ao lago, veem um Arco-íris gigante, com as suas sete cores cheias de luz e ofuscantes, terminar sobre a gruta! 

Espreitaram com espanto lá para dentro e, uma menina chamada Esperança, aquela que nunca se perde nem se cansa, diz-lhes:

- Aqui está o maior dos tesouros, no fim do Arco-íris! É aqui, em Perlim, que ele termina, porque aqui vive a verdadeira e mais pura Amizade!

Eis a história - é aqui que tudo começa!

Perlim, Pimpim, a história chegou ao Fim! Ou não! Continuem a dar vida à Magia que o Arco-íris trouxe a Perlim!

www.perlim.pt



FESTA DAS FOGACEIRAS



A Festa das Fogaceiras é uma festa característica do concelho de Santa Maria da Feira que completou em 2005, quinhentos anos de história. Realiza-se a 20 de Janeiro.

Teve origem num voto ao mártir S. Sebastião, em 1505, altura em que a região foi assolada por um surto de peste que matou parte da população. Em troca de protecção, o povo prometeu ao santo a oferta de um pão doce chamado fogaça a todos aqueles que fossem mais pobres na freguesia. 

"S. Sebastião, que segundo a lenda, padeceu de todos os sofrimentos aquando do seu martírio em nome da fé cristã, tornou-se assim, o santo padroeiro de todo o condado da Feira. No cumprimento do voto, os ofertantes incorporavam-se numa procissão que saía do Paço dos Condes e seguia pela Igreja do Convento do Espírito Santo (Lóios), onde eram benzidas as fogaças, divididas em fatias, posteriormente repartidas pelo povo.”

Durante quatro anos a tradição foi quebrada e a peste regressou. Este acontecimento veio aumentar a devoção a uma das mais antigas tradições de Portugal.

O cortejo sai de manhã dos Paços do Concelho para a Igreja Matriz, dezenas de crianças vestidas de branco levam à cabeça uma fogaça. O cortejo é fechado por três raparigas que levam à cabeça miniaturas do castelo. Na Igreja realiza-se uma missa, com bênção das fogaças e à tarde, começa a procissão que percorre o centro da cidade com os andores de S. Sebastião e de Nossa Senhora.

Site para contato: aqui



SEMANA SANTA



Utilizando a cidade como palco de recriação dos últimos dias de vida de Jesus Cristo, a Semana Santa aposta no rigor histórico e na diferenciação de conteúdos que, ano após ano, surpreendem residentes e visitantes.

Mais do que um evento religioso, a Semana Santa assume uma forte componente cultural e social, apresentando uma programação inédita, que cruza música, recriações bíblicas e visitas guiadas ao património religioso.

Graças à união de esforços da sociedade civil e eclesiástica, este evento tem conquistado novos e exigentes públicos.

Site para contacto: aqui



Bizfeira - Plataforma de Negócios - Santa Maria da Feira
voltar