Política de cookies

Este site utiliza cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso. Saiba Mais

Compreendi

Notícias

PROCEDIMENTOS DE HIGIENE E SEGURANÇA
2020-03-18

No seguimento da Orientação nº 006/2020 da DGS e de forma a melhor orientar todas as pessoas/entidades quanto aos procedimentos a adotar relativamente ao COVID 19, o qual deverá inclusivamente ser divulgado pelos trabalhadores, passamos a identificar duas situações que poderão ocorrer na vossa empresa e que medidas deverão ser tomadas.

A) Preparação para eventual caso de COVID 19, de trabalhadores da empresa

Entre outras recomendações, é importante que tenha em linha de conta os seguintes aspetos:

1) Estabelecimento de áreas de "isolamento” e respetivos acessos.

Na criação desta área deverão ser observados alguns aspetos e equipamentos relevantes, como:

· Ventilação natural ou mecânica;

· Revestimentos lisos e laváveis (evitar tapetes, cortinados e outros semelhantes);

· Água e alguns alimentos não perecíveis;

· Solução antisséptica de base alcoólica (uma no interior, outra no exterior);

· Máscara(s) cirúrgica(s) e luvas descartáveis;

· Termómetro;

· Telefone/telemóvel e carregador;

· Cadeira/sofá/marquesa;

Contentor de resíduos;

· Toalhetes/lenços de papel;

· Instalação sanitária.

2) Devem estar previstas medidas específicas que respeitem:

· À forma de comunicação do trabalhador com sintomas e os colegas e chefias;

· Aos procedimentos básicos de higienização das mãos;

· Aos procedimentos de etiqueta respiratória;

· Aos procedimentos de colocação de máscara cirúrgica;

· Aos procedimentos de conduta social (ex. alterar a frequência e/ou a forma de contacto entre os trabalhadores e entre estes e os clientes - evitar o aperto de mão, as reuniões presenciais, os postos de trabalho partilhados);

· Ao registo de contactos com o Trabalhador com sintomas.

3) Deverão ser definidas responsabilidades (como por exemplo):

· Definição de um responsável, ou departamento responsável, ao qual todos os trabalhadores devem reportar possíveis casos de doença, evitando o maior número de contactos intermédios;

· Definição de responsáveis pelo acompanhamento de eventual trabalhador com sintomas em situação de necessidade.

4) Disponibilização na empresa dos contactos do Serviço de Saúde do Trabalho (SST) e, se possível, do(s) médico(s) do trabalho responsável(veis) pela vigilância da saúde dos trabalhadores da empresa.

5) Deverão ser fornecidos todos os produtos de higiene e limpeza adequados, nos termos previstos na Orientação 006/2020 da Direção Geral de Saúde (DGS).

B) Procedimentos a adotar perante um caso suspeito/trabalhador com sintomas e a sua eventual confirmação.

1) Qualquer trabalhador com sinais e sintomas de COVID-19 e ligação epidemiológica, ou que identifique um trabalhador que corresponda a um caso suspeito, deve informar o responsável já definido, preferencialmente por meio telefónico e não presencial e dirigir-se para a área de "isolamento”.

2) Concomitantemente, deve usar uma máscara cirúrgica, colocada por si mesmo, de molde a minorar a possibilidade de contágio;

3) Já na área de "isolamento”, o trabalhador deve contactar o SNS 24 (808 24 24 24), prestando todas as informações solicitadas e observar todas as recomendações que lhe forem fornecidas.

4) Se o caso suspeito for validado, o trabalhador deverá permanecer na área de "isolamento” até à chegada da equipa do INEM (ativada pela DGS). O acesso à área de "isolamento” fica interditado (com a exceção dos trabalhadores designados para prestar assistência).

5) O responsável já nomeado, deverá informar os restantes trabalhadores e o médico do trabalho da existência de caso suspeito validado (devendo, no plano de contingência ser estabelecidos os procedimentos de comunicação a utilizar, de molde a prevenir situações de pânico generalizado).

6) Confirmando-se o caso suspeito: após autorização da Autoridade Local de Saúde, deverá a zona de isolamento ser limpa e desinfetada e, bem assim, todas as áreas ou instrumentos frequentemente utilizados pelo doente confirmado. Atente-se, ainda, que a Autoridade de Saúde Local, em estreita articulação com o médico do trabalho, deverá comunicar à DGS informações sobre as medidas implementadas na empresa e, também, sobre o estado de saúde dos contactos próximos do doente, devendo esses ser identificados, monitorizados, acompanhados e /ou aconselhados de forma precaver novos casos de COVID-19 e a sua propagação.

In, APCOR
Download: Procedimentos de Higiene e Segurança (65KB)
voltar