Política de cookies

Este site utiliza cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso. Saiba Mais

Compreendi

Notícias

No top 10 das exportações
2018-06-25

Deslocação das sedes das empresas adultera resultados

Em 2017, as exportações portuguesas contabilizaram 55 097 milhões de euros, sendo que, neste "bolo", a "fatia" de Santa Maria da Feira corresponde a 2,5%. Um peso e um valor que, segundo Emídio Sousa, representa um "bom resultado", mas que não deixa de ser "curioso".

"Há dois anos estávamos no décimo lugar, agora estamos no nono, mas estou convicto que até estaríamos algures entre o quinto e o sexto lugar. Muitas das empresas de Santa Maria da Feira têm as suas sedes em Lisboa ou no Porto, e penso que os valores quer do distrito de Lisboa, como do distrito do Porto, estão muito inflacionados. Conheço bem a realidade e conheço algumas empresas da Feira que mudaram a sua sede para Gaia, por exemplo, por causa das questões relacionadas com a actuação das Finanças no distrito de Aveiro" - considera o autarca.

Já no Congresso CIP 2018, o Presidente da Câmara Municipal aproveitou a presença de Marcelo Rebelo Sousa para denunciar a "perseguição fiscal" alegadamente praticada contra algumas empresas de Santa Maria da Feira, o que terá feito com que as entidades tenham movido a sua sede fiscal para outras regiões do país, mantendo toda a unidade de fabricação e produção em Santa Maria da Feira. "Estou convicto de que os nossos 1360 milhões deveriam estar situados algures entre os 1500 e os 1600 milhões. Como é óbvio não conheço todas as empresas que saíram de cá, mas algumas das quais tenho conhecimento são nomes muito grandes, e estou certo de que se não existisse esta discrepância entre o local onde a empresa tem a sua base de produção e o local da sede, estaríamos algures entre o quinto e o sexto lugar" - acredita Emídio Sousa.

PROXIMIDADE COM O MAR ABRE PORTAS AO MERCADO

Portugal tem pouco mais de três centenas de municípios (308). Deste todo, os dezasseis situados na Região Litoral exportam tantas mercadorias para o estrangeiro quanto os restantes 292, e Santa Maria da Feira está entre os territórios mais férteis ao nível das exportações. Acima de Viana do Castelo (1,5% das vendas de 2017), Ovar (1,6%), Oliveira de Azeméis (1,6%), Matosinhos (1,6%), Porto (1,9%), Oeiras (2,2%) e Sintra (2,4%), aparece Santa Maria da Feira, com uma representação de 2,5%.

A "casa em frente ao mar" oferece uma infinidade de possibilidades, abertura de portas ao mercado e aos mercantes que chegam de fora, mas Emídio Sousa acredita que o valor conseguido poderá ser atribuído à "tradição empreendedora" característica da Feira.

"Santa Maria da Feira tem um contexto muito próprio: temos a indústria da cortiça, desde logo uma área com presença muito forte em Santa Maria da Feira; o sector do calçado, do qual somos o maior exportador a seguir a Felgueiras; temos também a área da metalomecânica, onde contamos com cerca de 200 empresas, e também nos destacamos no papel, sendo o maior produtor de embalagens. Tudo isto são indústrias que já se situam no nosso território desde o século XIX e inícios do século XX. Sempre existiu esta tradição empreendedora no nosso território, embora não nos possamos desligar da nossa localização geográfica" - considera o edil.


DIVULGAR O TERRITÓRIO PARA COLHER EMPRESAS

Parece ser mesmo a palavra de ordem. "Divulgar" o território, as suas características e as forças vivas do mercado de trabalho que o sustentam, voltar os escritórios das empresas para aquelas que são as possibilidades oferecidas pelo mercado internacional. São algumas das principais crenças e bases de actuação do Presidente da Câmara.

"Vamos para o estrangeiro divulgar o território, mesmo a mais tradicional das empresas passou a encarar a venda para o mercado global como uma hipótese. Os nossos números são muito maiores que os expressos, não tenho dúvidas disso" - acredita Emídio Sousa, reforçando a voltagem para o comércio electrónico como medida de um futuro já presente - "Estamos a trabalhar precisamente a área do comércio electrónico, com a aposta na linguagem de programação, mas isto não é algo que vem de agora. Já há quatro anos, quando lançamos o Bizfeira, que é precisamente uma plataforma de negócio internacional, onde já temos inscritas perto de duas mil empresas. O objectivo é mesmo levar as pessoas a perceberem a forma como estas novas ferramentas funcionam, para que possam trabalhar e usufruir das suas vantagens".


DAS MAIORES SUBIDAS DESDE 2013

Santa Maria da Feira foi também um dos municípios com registo de maior subida, em milhões de euros, entre os anos de 2013 e 2017.

No papel e na tabela, o território fogaceiro aparece no oitavo lugar, com um acréscimo contabilizado nos 240 milhões de euros. No entanto, para Emídio Sousa, os números deveriam ser outros. "Acredito que devemos andar na casa dos 500 milhões de euros para quatro anos. Existem os casos de empresas que mudaram a localização da sede e que, por isso, não são contabilizadas como sendo de Santa Maria da Feira" - avalia.

O período de tempo em análise, e onde a subida foi registada, diz respeito ao primeiro mandato de Emídio Sousa na liderança da Câmara Municipal. No entanto, o edil reconhece outros méritos. "Estamos a fazer o nosso trabalho neste domínio. O mérito é dos nossos empresários, dos nossos trabalhadores, de todo o conjunto de cidadãos que participa no nosso mercado de trabalho. Temos empresários que acreditam que conseguem mudar o Mundo com o seu trabalho, e trabalhadores capazes de produzir a um nível muito competitivo" - conclui.


In, Jornal N
voltar