Política de cookies

Este site utiliza cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso. Saiba Mais

Compreendi

Notícias

Multinacional VGP aplica 20ME em parque logístico com 195 empregos na Feira
2019-11-27

A multinacional VGP vai investir cerca de 20 milhões de euros na criação de um espaço logístico nos arredores de Santa Maria da Feira que deve empregar 195 pessoas.

A multinacional belga VGP começará em dezembro a construir em Santa Maria da Feira o seu 62.º parque industrial e logístico, investindo 20 milhões de euros em armazéns prontos a utilizar por inquilinos que deverão empregar 195 pessoas.

Segundo revelou terça-feira em conferência de imprensa a direção da empresa, que no resto da Europa tem como arrendatárias marcas como a BMW, Amazon, Lidl, Decathlon, DHL, Ali-Baba e UPS, no final de 2020 o novo parque ocupará 73.500 metros quadrados numa zona de Nogueira da Regedoura, que, também nesse concelho do distrito de Aveiro, está localizada junto aos nós de acesso às autoestradas A1 e CREP-A41.

Recordando que a sua carreira começou em 1998 quando, ainda muito jovem, fugiu para a República Checa para aí criar uma empresa de fraldas para bebé, o belga Jan Van Geet, diretor-geral da VGP, afirmou que a sua atividade evoluiu entretanto para uma presença em 11 países e que o seu foco é agora na "oferta de soluções chave-na-mão” para inquilinos dos setores da logística, da indústria e do comércio.

A VGP está assim distribuída por 11 países europeus e, se escolheu instalar na Feira o seu 62.º parque, foi porque o concelho cumpriu o requisito de apresentar a "melhor localização possível”, num ponto geográfico com "transportes públicos, características técnicas e viabilidade de operações 24/7 [24 horas por dia, sete dias por semana]”.

Com acesso imediato à A41 e CREP-A41, e, daí, também à A49 e EN1, Nogueira da Regedoura dispõe do que Jan Van Geet considera essencial para que as empresas a instalar no novo parque possam aceder facilmente a qualquer localização do país e à fronteira com Espanha, e, através da CREP-A41, "circular mais rapidamente à volta do Porto”.

O início da empreitada surge após "alguns meses” de negociações com a Câmara Municipal da Feira, sendo que, a esse propósito, o fundador da VGP apontou diferenças entre a burocracia portuguesa e a da Alemanha, onde a multinacional tem a sua maior representação: "A Alemanha também é um país muito burocrático, tal como a Roménia e Espanha, mas, para ser honesto, foi realmente muito agradável trabalhar com a Câmara da Feira”.

Emídio Sousa, presidente dessa autarquia, defendeu que o projeto da VGP constitui "mais uma ferramenta para atrair investimento estrangeiro para o concelho” e, a avaliar pelos 195 postos de trabalho que essa multinacional estima criar no parque de Nogueira, declarou: "O nosso território já está em condições de atrair melhores salários. A nossa nova meta é que o emprego local deixe de ser só para mão-de-obra barata e passe a ser para mão-de-obra qualificada, como tanto temos aqui”.

O terreno de 73.500 metros quadrados do novo empreendimento da VGP incluirá uma área de armazém com mais de 30.000 metros quadrados e outros 30.500 para aluguer por uma a sete empresas. O ar condicionado será "uma obrigatoriedade”, o estacionamento estará disponível para ligeiros e pesados, e a energia será "verde” graças a um sistema de painéis fotovoltaicos classificado com "Muito Bom” pelo modelo de certificação BREEAM.

Segundo Jan Van Geet, a VGP está cotada nas bolsas Euronext, tem uma joint-venture a 50% com a Allianz e vem registando um crescimento acumulado de 30% ao ano, sendo que, no final de 2019, essa taxa deverá elevar-se para os 50%.


In, Observador
voltar