Política de cookies

Este site utiliza cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso. Saiba Mais

Compreendi

Notícias

Indústria mundial de calçado com dinâmicas positivas
2019-08-27

A indústria mundial do calçado ficou marcada, em 2018, por dinâmicas positivas. No último ano, a produção e a exportação de calçado cresceu, respetivamente, 2.7% e 4.3%. Os dados são do World Footwear Yearbook 2019, recentemente publicado pela APICCAPS. Este foi, de resto, o segundo ano de crescimento. Ao longos dos últimos nove anos em que o World Footwear Yearbook foi publicado, a produção mundial de calçado aumentou 20.5% e as exportações mundiais cresceram 30.8% em volume e 80.8% em valor.

Com efeito, no último ano, a produção mundial calçado alcançou os 24.2 mil milhões de pares (crescimento de 2.7%). Em termos de distribuição geográfica, a produção continua fortemente concentrada na Ásia, onde nove em cada 10 pares são produzidos. As exportações mundiais de calçado aumentaram em 2018, pelo segundo ano consecutivo, o que se traduz num novo máximo histórico de 142 mil milhões de dólares. Contudo, em termo de volume, ainda está abaixo do recorde de 15.2 biliões de pares registado em 2015. Em termos geográficos, o crescimento está desigualmente distribuído. A China é a origem de dois terços de todas as exportações, mas a sua quota de mercado caiu outra vez em 2018. Desde 2010, a quota da China perdeu nove pontos percentuais nas exportações mundiais.

Mudança nos padrões de consumo

Na última década, os padrões de consumo de calçado têm mudado e refletido a evolução demográfica e a dinâmica económica. Atualmente, a Ásia compra grande parte do calçado comercializado à escala global. Importa registar que a China continua a liderar a lista dos 10 maiores consumidores de calçado, com 18.4%. Numa perspetiva continental, a Ásia continua a ser a maior região de consumo de calçado (54%), seguida pela Europa (15%) e a América do Norte (15%).

Europa vs Ásia

Depois de perder quota no valor total de exportações mundiais nos últimos anos, a Europa chegou a uma quota em valor de 37.7% em 2018 (menos do que os 38.6% em 2010). Em termos de quantidade, a Europa assegura 13.6% do mercado internacional, sendo este o valor mais alto dos últimos seis anos. Porém, a Europa apenas detém 1/6 da quota da Ásia, que é a origem de mais de 4 em 5 pares de sapatos exportados mundialmente.
A Europa é o continente líder nas importações de calçado, representando mais de 1/3 do total global, mas a Ásia está rapidamente a aproximar-se. Em 2009, a diferença nas respetivas quotas mundiais de importação ascendia aos 20%. Em 2018, este número desceu para os 8%.

O impacto da guerra comercial EUA-China

Os recentes desenvolvimentos da guerra comercial entre os EUA e a China estão já a ter impacto nas dinâmicas do comércio internacional. Em 2018, a China perdeu 1.7 pontos percentuais na sua quota de produção global, tendo sido essa perda distribuída por outros «players» importantes. Os grandes beneficiados são, por esta altura, os três maiores produtores a seguir à China: a Índia (crescimento de 0.5%); o Vietname e a Indonésia, cada um com um acréscimo de 0.7%.

World Footwear Yearbook
Atualmente na sua nona edição, o World Footwear Yearbook é uma publicação inserida no projeto World Footwear desenvolvido pela APICCAPS desde 2011, e que analisa as grandes tendências da indústria mundial do calçado.

Com estatísticas atualizadas até ao ano de 2018, e apresentadas em valor e quantidade, a publicação apresenta, igualmente, a evolução dos principais players a nível mundial, atendendo às variáveis produção, consumo, exportações e importações. Fazendo uma caracterização detalhada da indústria do calçado mundial, o World Footwear Yearbook 2019 inclui, ainda, o perfil individual de dezenas de mercados (84 mercados).

Complementarmente, a plataforma worldfootwear.com divulga diariamente informação pertinente sobre a realidade da indústria mundial de calçado.

In, APICCAPS
voltar