Política de cookies

Este site utiliza cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso. Saiba Mais

Compreendi

Notícias

HomeCarShare. O booking português quer turismo a plantar árvores
2019-06-28

Nova plataforma de reservas 100% nacional surge como alternativa às gigantes mundiais. Aposta na devolução de comissões para fidelizar clientesA seguirHomeCarShare.

É um projeto cem por cento português e quer promover o turismo sustentável. A HomeCarShare nasceu para ser a concorrente nacional das gigantes Booking.com e Airbnb e, apesar de ser recente, quer sobressair nas preferências nacionais. Pelo caminho, dá-se uma mão ao meio ambiente.

Online desde o início deste ano, a HomeCarShare é uma plataforma de reserva de alojamento e aluguer de veículos, que nasceu com o nome em inglês para permitir uma futura internacionalização do negócio. "Sabemos que muitos proprietários portugueses estavam interessados em ter uma plataforma nacional que trouxesse a tranquilidade e a garantia de fazer crescer o turismo em Portugal”, diz André Fernandes, fundador da plataforma, que tem apostado nas redes sociais para a divulgação do projeto. Para já contam-se 134 espaços disponíveis para reserva, mas para este ano espera conseguir angariar pelo menos 500 alojamentos e conquistar entre cem e 200 reservas.

Com foco no turismo sustentável e na importância da preservação do meio ambiente, a HomeCarShare não quer ser igual às demais. "Criámos este negócio porque acreditamos que algo tem de ser feito para prevenir o aquecimento global e a poluição”, assume André Fernandes. Para isso, foi criada uma parceria com a Quercus de forma a que cada utilização ou reserva de férias possa ajudar o programa Criar Bosques. Na prática, André Fernandes quer pôr o turismo gerado pela plataforma a plantar árvores e, por cada donativo para o meio ambiente, é devolvida a totalidade do valor oferecido para que possa ser utilizado em reservas futuras. 

O aumento da procura turística é visto como "uma grande oportunidade” para difundir ideias e planos que "contribuam positivamente para o meio ambiente e para a sensibilização da população mundial para o enorme impacto que as pequenas atitudes podem gerar”, reconhece o empreendedor. 

"Se formos bem-sucedidos podemos dar início à revolução verde a nível global. Não podemos continuar a esperar pelos apoios e pelas lentas iniciativas governamentais”, lembra André Fernandes, que quer "pôr Portugal no mapa-mundo no que concerne ao vanguardismo na área do turismo e da revolução verde”. 

O método da recompensa é apenas o primeiro passo. "Não nos interessa que o apoio seja dado apenas porque se tem interesse em receber a recompensa, interessa-nos sim os resultados, o impacto real que esse apoio vai criar. Temos esperança de que se formos capazes de provar que o conceito funciona de forma rentável para a sociedade em geral e para o ambiente, muitas empresas venham a seguir o nosso exemplo.” 

O sistema de partilha de rendimentos não fica por aqui. A plataforma também devolve o valor da comissão cobrada por reserva – 12,5% de comissão tanto para proprietários como para turistas – através da atribuição de um crédito para utilizar em futuras reservas. É um "incentivo” adicional para que hóspedes e proprietários dialoguem por esta via e não de forma direta e, numa altura em que se tenta ganhar mercado, ser mais competitivo do que os concorrentes internacionais. 

Além de casas para férias, esta plataforma tem ainda outra particularidade: com o alojamento, também é possível alugar um veículo aos proprietários que anunciam através desta plataforma.

In, Dinheiro Vivo
voltar