Política de cookies

Este site utiliza cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso. Saiba Mais

Compreendi

Notícias

GBS da Faurecia no roligo pela "facilidade de acessos rodoviários"
2019-06-04

A Faurecia instalou o Global Business Services na Zona Industrial do Roligo e garante que a decisão deve-se ao fácil acesso rodoviário, assim como à proximidade à cidade do Porto - e em específico ao Aeroporto Francisco Sá Carneiro - e à de Aveiro. A empresa francesa dedicada à indústria do setor automóvel mostra-se satisfeita com a decisão.

A Faurecia, grupo francês do setor automóvel, inaugurou no dia 13 de maio, na Zona Industrial do Roligo, o Global Business Services (GBS), um centro de serviços cujo objetivo é servir a Europa Ocidental, o Norte de África e a América do Sul. Procurámos perceber as motivações que proporcionaram a vinda do grupo que integra na bolsa Euronext - da qual fazem parte as bolsas de Bélgica, França, Holanda, Portugal e Reino Unido. A Faurecia, fundada em 1997, tem cimentado a sua atuação na indústria automóvel, afirmando-se como um dos principais fornecedores, chegando a liderar quatro áreas de negócio: Assentos, Interiores (portas e painéis de controlo),' Clean Mobility' (escapes) e 'Clarion Electronics' (componentes eletrónicos). "A Faurecia tem centrado a sua estratégia tecnológica em fornecer soluções para o Cockpit do Futuro e para a Mobilidade Sustentável. Em 2018, o grupo apresentou vendas de €17,5 mil milhões", referiu a empresa nas respostas dadas à redação do CORREIO DA FEIRA.

A decisão de instalar o projeto GBS em Santa Maria da Feira "prende-se fundamentalmente com a facilidade de acessos rodoviários, proximidade com a cidade do Porto e de Aveiro e com o aeroporto [Francisco Sá Carneiro]". No referido centro de operações não existe qualquer setor dedicado à produção de componentes, apenas escritórios. "O GBS é um centro de operações que inclui todas as funções de suporte mais importantes como finanças, compras e vendas. É uma unidade totalmente independente das duas unidades fabris existentes em S. João da Madeira". À questão que perguntava a existência de incentivos fiscais por parte do Município da Feira - com o objetivo de trazer a empresa para território feirense - apenas foi respondido que "é um investimento da Faurecia".

O facto de muitos empresários e colaboradores, cujas empresas estão instaladas na Zona Industrial do Roligo, queixarem-se constantemente dos problemas provocados pela involuntária acessibilidade condicionada - camiões atulham-se pelas bermas durante horas devido à falta de espaço para aparcarem devidamente - ou pelas deficitárias condições do piso da rede viária, não preocupa a Faurecia que mostra-se satisfeita com a decisão. "Estamos muito satisfeitos com a decisão e acreditamos que a relação entre a Faurecia e toda a comunidade local funcionará de forma exemplar e que será um pilar fundamental para o sucesso da nossa operação em Santa Maria Feira". A Faurecia marca presença em 37 países e "em quase todos os continentes".




In, Correio da Feira
voltar