Política de cookies

Este site utiliza cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso. Saiba Mais

Compreendi

Notícias

Eventos digitais: tendências, vantagens e preocupações
2020-07-08

Os eventos digitais são a alternativa possível aos milhares de congressos, encontros, conferência ou lançamentos cancelados. Contudo, nem todas as marcas e empresas estarão convencidas de que este é, de facto um caminho possível. Para ajudar abrir os horizontes, a Desafio Global desenvolveu um guia através do qual explica as vantagens deste formato.

Por entre as razões apresentadas, surgem também alguns números: 93% dos responsáveis de Marketing planeia investir em eventos digitais ou híbridos e 68% acredita que os eventos híbridos terão um papel decisivo nas suas estratégias de negócio em 2020 e 2021 (dados da Bizzabo). Além disso, 80% dos participantes em eventos digitais assume que as experiências superaram as expectativas.

Dados da Topo mostram ainda que 63% das empresas assume que irá migrar a maioria dos seus eventos para uma opção remota ou híbrida. Quanto ao posicionamento deste tipo de soluções, 80% dos responsáveis de Marketing aponta a vertente formativa e informativa como o principal foco para realizar eventos digitais e 79% assume que um evento como este preenche as necessidades de interacção (CWO Digital).

A Desafio Global dá ainda conta de um outro dado da Bizzabook, segundo o qual 92% dos responsáveis de Marketing acredita que os eventos híbridos irão substituir os eventos tradicionais ou 100% presenciais.

Em termos de benefícios, 100% dos inquiridos pela CWO Digital considera que participar em eventos sem sair de casa é uma vantagem, sendo que apenas 6% acha que teria alguma dificuldade em aceder a um evento digital. Quando a prioridade é segurança e conforto, 96% diz que um evento digital é a melhor opção (Event Outlook Report).

Expansão da audiência (70%), facilitar a participação no evento (66%) e melhorar a transmissão do conteúdo (50%) são os principais objectivos apontados por quem realiza eventos digitais (VM SSK). Por outro lado, histórico da agência (68%), proposta técnica (62%) e preço (60%) são as maiores preocupações no momento de escolher a empresa que irá gerir o evento digital ou híbrido.

Os eventos digitais são a alternativa possível aos milhares de congressos, encontros, conferência ou lançamentos cancelados. Contudo, nem todas as marcas e empresas estarão convencidas de que este é, de facto um caminho possível. Para ajudar abrir os horizontes, a Desafio Global desenvolveu um guia através do qual explica as vantagens deste formato.

Por entre as razões apresentadas, surgem também alguns números: 93% dos responsáveis de Marketing planeia investir em eventos digitais ou híbridos e 68% acredita que os eventos híbridos terão um papel decisivo nas suas estratégias de negócio em 2020 e 2021 (dados da Bizzabo). Além disso, 80% dos participantes em eventos digitais assume que as experiências superaram as expectativas.

Dados da Topo mostram ainda que 63% das empresas assume que irá migrar a maioria dos seus eventos para uma opção remota ou híbrida. Quanto ao posicionamento deste tipo de soluções, 80% dos responsáveis de Marketing aponta a vertente formativa e informativa como o principal foco para realizar eventos digitais e 79% assume que um evento como este preenche as necessidades de interacção (CWO Digital).

A Desafio Global dá ainda conta de um outro dado da Bizzabook, segundo o qual 92% dos responsáveis de Marketing acredita que os eventos híbridos irão substituir os eventos tradicionais ou 100% presenciais.

Em termos de benefícios, 100% dos inquiridos pela CWO Digital considera que participar em eventos sem sair de casa é uma vantagem, sendo que apenas 6% acha que teria alguma dificuldade em aceder a um evento digital. Quando a prioridade é segurança e conforto, 96% diz que um evento digital é a melhor opção (Event Outlook Report).

Expansão da audiência (70%), facilitar a participação no evento (66%) e melhorar a transmissão do conteúdo (50%) são os principais objectivos apontados por quem realiza eventos digitais (VM SSK). Por outro lado, histórico da agência (68%), proposta técnica (62%) e preço (60%) são as maiores preocupações no momento de escolher a empresa que irá gerir o evento digital ou híbrido.


In, Marketeer
voltar