Política de cookies

Este site utiliza cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso. Saiba Mais

Compreendi

Notícias

Empresa lamacense celebra o 50.º aniversário
2020-07-06

A empresa dedicada ao comércio e montagem de chapas para coberturas e fachadas, assim como à remoção de coberturas contendo amianto, Fernando Pinto de Sousa, Lda., sediada em Santa Maria de Lamas, celebra hoje, dia 6 de julho, o 50.º aniversário.

Fundada em 1970 pelo sócio-gerente Fernando Pinto de Sousa, que iniciou a sua atividade profissional como fabricante de fivelas para calçado, mas que quatro anos depois, atento às necessidades do mercado, voltou-se para o fabrico de grampos e anilhas para fixação de chapas, tendo posteriormente se dedicado ao comércio destas, a Fernando Pinto de Sousa passou a ser da responsabilidade limitada em 1992.

Atualmente, com seis colaboradores internos, a empresa lamacense conta também com o apoio externo de "equipas especializadas e certificadas” para a colocação das chapas e painéis e remoção de coberturas contendo amianto.

A comemorar 50 anos de história, a Fernando Pinto de Sousa (FPS) "orgulha-se de servir com prontidão e qualidade, respondendo com mestria às exigências do mercado e procurando soluções ajustadas às solicitações de cada cliente. Desde painel sandwich, chapa galvanizada e lacada, policarbonatos ou mesmo o próprio grampo para fixação de chapa, nesta empresa é possível encontrar um leque alargado de produtos”, garante a diretora-geral, Paula Sousa Fontes.

50 anos de atividade é sinónimo de sucesso, por isso Paula Sousa Fontes desvenda o ‘segredo’. "A capacidade de resposta, a vontade de encontrar sempre uma solução, a qualidade dos materiais e a responsabilidade assumida perante cada projeto”, menciona.

Volvidos 50 anos desde a fundação, a missão da empresa mantém-se: "A nossa missão é o reconhecimento dos clientes pela qualidade dos produtos comercializados e serviços realizados, tendo sempre presente o compromisso de aperfeiçoamento contínuo dos nossos produtos e serviços e com o desenvolvimento sustentável e rentabilidade dos nossos negócios”.


In, Correio da Feira
voltar