Política de cookies

Este site utiliza cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso. Saiba Mais

Compreendi

Notícias

Emídio Sousa abre Bizfeira almejando emprego mais qualificado e melhor remunerado
2020-10-27

Sexta edição do fórum refletiu no futuro das empresas e dos profissionais no pós-Covid-19

"Reinvenção, O Caminho das Empresas" foi o mote para a edição de 2020, via streaming, do Fórum Bizfeira. Ao longo da passada quinta-feira, 22 de outubro, reputados oradores reuniram-se em painéis de discussão, apresentações inspiradoras, workshops e sessões colaborativas remotas, para debater o futuro das empresas e dos profissionais no pós-Covid-19.

Devido à atual crise pandémica, empresas e profissionais terão que se reinventar para serem bem sucedidos neste novo mercado de trabalho. Como pode ser feita esta reinvenção? Quais as principais áreas de oportunidade? Sustentabilidade, Indústria 4.0 e Inovação, Gig Economy, Skilling, Upsildlling e Reskilling serão áreas por onde passará, com certeza, a "Reinvenção".

Neste sentido, a abertura da sexta edição do Fórum Bizfeira foi realizada pelo presidente da Câmara Municipal, Emídio Sousa, que referiu que este ano, face à pandemia de Covid-19, é "um momento oportuno" para a reinvenção. "A pandemia trouxe dificuldades para todos. Muitos ficaram sem saber o que fazer, mas a crise - tal como a história da Economia nos demonstra - também traz muitas oportunidades", apontou o edil. "Cada um de nós tem de pensar na sua área de atividade e de negócio e ver o que pode fazer, nomeadamente definir um caminho estratégico para a sua empresa e da sua organização", sublinhou o presidente da Câmara Municipal de Santa Maria da Feira.

Após enumerar um conjunto de dinâmicas levadas a cabo no concelho feirense, o edil admitiu também que, frequentemente, a região Norte e o Município são acusados de ter uma economia assente em "baixos salários" e da produtividade das empresas locais ser "muito inferior" em comparação com as empresas europeias. "É verdade, mas isto deve-se essencialmente à falta de automatização e da tecnologia a incorporar nos processos produtivos. Penso que surge aqui uma nova oportunidade para todos nós - a digitalização, o desenvolvimento sustentável, o trabalho qualificado e a consequente satisfação das pessoas no seu local de trabalho", referiu.

Emídio Sousa lançou também um novo desafio para Santa Maria da Feira que assenta na máxima "Emprego qualificado, salário melhor remunerado". "O Bizfeira, mais uma vez, vai ser um espaço de debate. Temos de alertar Portugal para o problema do excesso de burocracia e esta presença excessiva do Estado de uma maneira, muitas vezes, assassina para as empresas", disse o edil ao reforçar a importância para a transição energética e sustentável do setor industrial.

Assim, a reindustrialização foi o tema central do debate da manhã, moderado pelo jornalista económico, Camilo Lourenço. O Painel "Reindustrializar Portugal com as Ferramentas do Futuro" contou com as presenças de Emídio Sousa, presidente da Câmara Municipal de Santa Maria da Feira, João Menezes, secretário-geral do BCDS Portugal - Conselho Empresarial para o Desenvolvimento Sustentável, e Pedro Braz Teixeira, diretor do Gabinete de Estudos do Fórum para a Competitividade, como oradores. O diretor-geral da APICCAPS, João Maia, e o presidente da APCOR, João Rui Ferreira, preenchem o Painel "Reindustrializar - O Caminho das Empresas". Já o terceiro Painel, "Reindustrializar - A Perspetiva das Empresas", contou com Adérito Ferreira, CEO Readiness IT, e Fernando Fernandes de Sousa, administrador do CEI. Ainda de manhã, estão agendadas as Keynotes "O Imperativo do Crescimento Inteligente", com Rui Coutinho, da Porto Business School, e "Uma Abordagem Sistémica à Sustentabilidade", por Leyla Acaraglu, designer industrial.

No período da tarde, a partir das 14h00, o Fórum Bizfeira diversificou as temáticas em diversos formatos, como a apresentação dos principais instrumentos financeiros de apoio às empresas; obrigações legais e soluções que contribuam positivamente para o bem-estar das pessoas, das empresas e do planeta e ainda um conjunto de "talks" e sessões colaborativas.





In, Jornal N
voltar