Política de cookies

Este site utiliza cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso. Saiba Mais

Compreendi

Notícias

Criação de empresas continua a disparar
2019-04-01


Até ao final de fevereiro foram criadas 11 099 novas empresas, mais 21,4% do que no mesmo período de 2018, ano em que foi batido o recorde de criação de empresas em Portugal.

Este ano, até ao final de fevereiro, foram criadas 11.099 novas empresas, mais 21,4% do que no mesmo período de 2018, ano em que foi batido o recorde de criação de empresas em Portugal, revela a Informa D&B.

Este crescimento é generalizado a todos os setores de atividade e a todos os distritos. Além dos Serviços, que é sempre o setor onde surgem mais empresas, destacam-se em número de empresas os setores da Construção, com 1.424 novas empresas, o Retalho com 1.303 e o Alojamento e restauração com 1.078.

O setor onde nascem mais empresas é o dos Serviços, com 3.577 nascimentos, a Construção com 1.424 e o Retalho com 1.303. Os Serviços viram nascer mais 593 empresas (+20%), a Construção mais 458 (+47,4%), e os Transportes mais 412 (+128%).

Nos últimos 12 meses, foram constituídas 2,5 empresas por cada uma que encerrou. O setor das Atividades imobiliárias é o que regista um rácio mais elevado entre constituições e encerramentos. Neste setor, foram criadas 5,2 empresas por cada uma que encerrou, mais do dobro da média do tecido empresarial, diz a Informa D&B.

As Atividades imobiliárias é um dos setores que revela maior vitalidade e regista o maior crescimento percentual de nascimentos de novas empresas na última década.

"Depois de um decréscimo de nascimentos entre 2009 e 2012, a partir de 2016 o setor mostrou um enorme crescimento e em 2018 nasceram 5 264 novas empresas, mais do dobro do que tinha atingido em 2008, ano em que tinham sido criadas 2 222 novas organizações no setor. Já em 2019, o setor recuou em janeiro face ao período homólogo, mas voltou a recuperar em fevereiro com mais 22% em novas empresas”, escreve a Informa D&B.

Entre os 4 subsetores das Atividades imobiliárias, ‘Compra e venda’ e ‘Angariação, avaliação e mediação’ são os mais expressivos em número de empresas, com 3.579 e 1.109 novas empresas em 2018, respetivamente, o que representa aumentos de 60% face há 10 anos. Ainda em 2018, o subsetor do "Arrendamento’ viu nascer mais 404 empresas e no da ‘Administração de condomínios e imóveis’ nasceram 172 novas empresas, o único subsetor onde nasceram menos empresas do que em 2008.

Na última década, as empresas das Atividades imobiliárias, quando encerram, fazem-no com uma idade média de 10,9 anos, ligeiramente mais baixa que a média dos encerramentos do tecido empresarial, que é de 13,2 anos.

As Atividades imobiliárias é o quarto setor onde mais mulheres assumem cargos de gestão, com 30,6% destes cargos a serem desempenhados por mulheres. São também o quarto setor com mais empregados do género feminino.

Os encerramentos de empresas subiram a um ritmo muito inferior. Nos dois primeiros meses do ano fecharam 2.767 empresas, mais 6,3% do que no mesmo período de 2018.

O setor onde encerram mais empresas é o dos Serviços, com 697 encerramentos e o Retalho com 512.

Iniciaram-se 355 processos de insolvência de empresas e outras organizações (-26,7%) nesse período.



In, Jornal Económico
voltar