Política de cookies

Este site utiliza cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso. Saiba Mais

Compreendi

Notícias

Covid-19. “Está na hora de comprar calçado de português”. A nova campanha da APICCAPS está no ar e é para português comprar
2020-05-15

"Chegou o momento de se apoiar centenas marcas de calçado portuguesas, responsáveis por 40.000 postos de trabalho”, diz associação sectorial 

Habituada a exportar 95% do que produz e a concentrar atenções no mercado externo, a indústria portuguesa do calçado está a lançar uma campanha criada para "português comprar". Num momento inédito para marcas e consumidores, a APICCAPS, associação dos industriais do calçado, lança a nova campanha de sensibilização direcionada ao mercado nacional assumindo que "se até aqui, pela dimensão e viabilidade, o setor esteve vocacionado para a exportação, chegou o momento de se apoiar centenas marcas de calçado portuguesas, responsáveis por 40.000 postos de trabalho".

O apelo é direto: "Está na hora de comprar calçado português" e surge num momento em que a fileira se debate com a quebra a pique das exportações, marcada pela descida de 5,7% nas vendas ao estrangeiro, para os 1,7 mil milhões de euros, em 2019.

"A indústria portuguesa de calçado produz e vende anualmente o equivalente a 80 milhões de pares. Está na hora de os conhecermos", é mensagem que ajuda a suportar este apelo feito no mercado interno, ao mesmo tempo que o sector investe no canal no online: "ao longo do passado recente, fruto de uma aposta contínua na criação e gestão de marca, as empresas portuguesas que integram o cluster português do calçado e artigos de pele, investiram cerca de 2 milhões de euros no reforço da sua presença online", diz a associação em comunicado.

"A representação online através de site próprio tornou-se prioritária para cerca de 75% das marcas, uma percentagem que sobe para os 78% no caso das empresas de componentes para calçado e de artigos de pele e marroquinaria", acrescenta.
"Ao longo da última década, o investimento online tem sido uma das nossas principais prioridades. Isso permite-nos criar maior proximidade com o consumidor que agora se tornou ainda mais digital. As marcas estão acessíveis através de site individual, plataformas coletivas de venda e também nas tradicionais lojas físicas (multimarca e nome próprio). Cabe agora ao consumidor nacional descobrir a qualidade que mais de 163 países reconhecem e valorizam.”, explica Paulo Gonçalves, diretor de comunicação da APICCAPS.

Quanto à presença nas redes sociais, o seu impacto é ainda crescente e por isso de aposta prioritária. Quase 60% das empresas estão no Facebook, 37% no Instagram e 21% no Linkedin.


In, Expresso
voltar